IGUALDADE NO DESIGUAL MERCADO DE TRABALHO PARA AS MULHERES?!

DIVERSIDADE NA PASSARELA? OK. E, NOS OUTROS LUGARES?
4 de setembro de 2017
“SE ACEITAR” REFORÇA OS PRECONCEITOS?
6 de setembro de 2017

IGUALDADE NO DESIGUAL MERCADO DE TRABALHO PARA AS MULHERES?!

 

“Você não vê problema em se ausentar para viagens a trabalho, por conta de seu filho?”; “Em caso de doença do seu filho, tem alguém que dê suporte a você?”; “Se precisar ficar até mais tarde no trabalho, teria algum problema?”. Algum homem já ouviu alguma  pergunta desse tipo em entrevistas de emprego? Esse é apenas um dos diferenciais de gêneros no mercado de trabalho. Além disso, as mulheres são mais questionadas pelos recrutadores, o que pode tornar as candidatas mais propensas a perder a calma durante a apresentação. Existe ainda, uma atitude do tipo “prove isto novamente” em relação às mulheres. Em média, as mulheres passam por até cinco questões nas quais são interrompidas pelo entrevistador, enquanto os candidatos do sexo masculino só enfrentam quatro. É o que revelou uma pesquisa realizada por duas universidades da California, EUA , e publicadas no Journal of Social Sciences. E na hora de negociar o salário? Mulher não precisa “ganhar” igual ao homem, pensam ainda boa parte dos empregadores.Ou porque consideram que a mulher tem “muitos benefícios trabalhistas” ou, que a mulher não precisa ganhar tanto, porque sua renda é “só para complementar” a renda do companheiro ou, por simples questões culturais – que ainda veem a mulher como sub-capacitada. Em pesquisas recentes, verificou-se que, apesar de as mulheres estarem superando o homens em formação acadêmica, isso não se reflete no mercado de trabalho, onde  a média é de 30% a menos entre salários das mulheres em relação aos homens, para as mesmas funções. Segundo o Relatório de Desigualdade Global de Gênero 2016 do Fórum Econômico Mundial, entre 144 países avaliados, o Brasil ocupa a vergonhosa 129ª posição no quesito igualdade de salários entre gêneros. Ainda segundo o estudo, o Brasil é ainda um dos seis países do mundo onde a diferença salarial entre homens e mulheres em cargos executivos é de mais de 50%. As mulheres  recebem menos que os homens não pela capacidade, pela baixa especialização, pela pouca disposição, nem por questões de mercado, e sim por preconceito. Uma boa parte da sociedade ainda resiste a que haja igualdade no desigual mercado de trabalho para as mulheres. Muitas profissões ainda não são vistas com bons olhos quando exercidas por mulheres ou, até mesmo tem as “portas fechadas”  para elas. E apesar de todo esforço, dedicação e competência, quando surge uma oportunidade de promoção a um cargo de chefia, adivinhem quem tem prioridade, na maioria das vezes, o homem ou a mulher?

 

FONTES:

 

http://monografias.brasilescola.uol.com.br/direito/a-evolucao-mulher-no-mercado-trabalho.htm

www.brasil.gov.br › Economia e Emprego › 2017 › http://revistamarieclaire.globo.com/Work/noticia/2017/07/estudo-revela-que-mulheres-tem-entrevistas-de-emprego-mais-dificeis.html

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook