FILME “A GUERRA DOS SEXOS”
22 de outubro de 2017
ORANGE IS THE NEW BLACK
24 de outubro de 2017

Por que muitas mulheres não aprovam o feminismo? Vejo muitas mulheres dizerem que isso é um modismo, ou que não precisam defender o feminismo, ou que se recusam a serem feministas por acharem algo totalmente desnecessário para elas ou, que o feminismo é mais um rótulo. Eis a grande questão. Imaginem se nós vivêssemos em nossa zona de conforto, preocupadas apenas com o nosso bem estar pessoal hoje – porque o amanhã, ninguém sabe o que nos reserva, não é? Sei, por experiência própria, o quanto é difícil sair da nossa zona de conforto. Mas, sei também, o quanto nos faz bem quando saímos dela. Entendo e respeito muito a postura dessas mulheres. Agora, não custa nada tentarmos mostrar as consequências dessa atitude, para todas as mulheres.E, aí estou me referindo ao gênero, à opção  e a identidade sexual e não apenas ao sexo feminino constante da certidão de nascimento. Não é necessário ser homossexual, ser transgênero, ser gorda , ser negra, ser deficiente física, ser idosa, ser… para entender um pouco, as dificuldades e discriminações sofridas por essas mulheres. Basta tentar se colocar no lugar da outra.  O feminismo não luta para ocupar o lugar dos homens na sociedade, nem objetiva superá-los. Claro que não!  Costumo dizer que o céu tem infinitas estrelas, cada uma ocupando o seu espaço e todas brilham lindamente.

Lutamos para ocupar o NOSSO espaço, o lugar que nos é devido na sociedade.Lutamos para que as meninas e adolescentes de hoje tenham acesso a carreiras profissionais sem limitação de gênero; tenham salários compatíveis com seu trabalho e qualificação, sem discriminação de gênero; que não sejam vistas como culpadas nos casos em que são vítimas da objetificação, do sexismo e da misogenia. Queremos dar um basta à violência doméstica, a qual resulta em muitos feminicídios. Queremos quebrar padrões de beleza inventados pela mídia. Queremos dar um basta nas discriminações e preconceitos que tanto afetam a autoestima e autovalorização das mulheres. Queremos respeito! Queremos o direito a ser o que, como, quando e onde quisermos. É querer muito? Basta ler jornais, revistas, sites de notícias, etc., para percebermos o quanto ainda falta para atingirmos esses objetivos. 

         “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.” (Martin Luther King Jr).

“Para que o mal triunfe basta que os bons fiquem de braços cruzados.” (Edmund Burke).

Compartilhe esse post com suas amigas! Juntas seremos sempre muito mais fortes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook